quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Beira-pensamento

Estou aqui e poderia estar
em qualquer lugar
E nada seria diferente
sem lugar no mundo no meio das gentes

E a idéia de sentimento do mundo
em nada me parece nova
Mais do mesmo! vagabundo!
Parado em um boteco sem cerveja fazendo prova

Estou aqui e tenho cama, comida e roupa lavada
amor, alguns trocados e uma arrogância deslavada
Sem palmas, luzes pra esconder nem tampouco beira-mar
Calo, paro, escrevo e me esqueço de pensar.

Fran Yan Tavares

2 comentários:

Isabel disse...

me identifico.
Amigo poeta!

. disse...

Belo poema...

Passo a ser seguidora do seu blog...Boas leituras que falam de alma!