domingo, 16 de março de 2008

Quando o motivo é só um detalhe

Ontem acordei e não consegui dormir
Fiquei insone
Com o gosto do teu nome, do teu rosto, dos teus lábios...
Em minha boca
Querendo a qualquer custo o desenho dos teus beijos de mosaicos
Não sei o que quer dizer...
E, por enquanto, acho até melhor...
Preciso e muito sentir, sorrir, e me distrair!
Para, enfim, poder me redimir de tantas paixões indignas do amor...



Fran Yan Tavares

3 comentários:

vi_kixada disse...

Perfeito...

Débora disse...

a situação as vezes é tão foda que faz a gente tratar o desejo como um detalhe descartável...
mas eu discordo do último verso, acho q as paixões não são indignas de amor. acho q a questão de tratar o motivo como um detalhe é que fabrica esse pensamento.
pq o motivo é um detalhe, mas é uma peça q, se tirada, desanda o resto do brinquedo todim. fica sem motivo (é não é? descobri isso sozinha hoje... =P)
sim, sim... vou para de falar, quer dizer, de escrever... aaehuaehauehauhae
gostei dos versos, riquelme!

Fran Yan disse...
Este comentário foi removido pelo autor.