terça-feira, 13 de janeiro de 2009

A vinda

Que venha o novo
sonhando sem contar
apostando alto
em todo tempo de crises

Que venha o novo
com sonhos de água e terra
de ternura e de fera
de inquietação e esboços de esperas

Que venha o novo
travestido de qualquer coisa
qualquer vazio do câncer do marasmo
qualquer coisa abarrotada de delirantes novidades

Que venha o novo
no beijo ancestral e estreito
para quem teimou em forjar
esperas por um amor na janela


Fran Yan Tavares

3 comentários:

vi_kixada disse...

Nada mais perfeito do que vc e Monet juntos...

Te amo!!

=**

nós disse...

adorei, grande amigo...
um abraço!!

Carlos Ítalo Nogueira Alves disse...

O novo sempre vem,
não importa como.
Ótima!